MindScape como potencial

Com Angie Tourani[1], Celso Juc[2] e Carlos Bueno[3]

Mediação Nirvana Marinho

Tradução Adriana Camilo

Realizada em 2 julho de 2020 (zoom) / Transcrita por Nirvana Marinho                          

Nirvana Marinho: O Escuta é um periódico para falar de BodyTalk. A 1ª edição foi lançada nesse último inverno, para nós é inverno agora. E nós tivemos a oportunidade de começar a reunir vários artigos, resenhas, entrevistas sobre BodyTalk. Para próximo edição, falaremos sobre as Ciências da Vida. E muitos formatos diferentes seriam possíveis como esse que gostaria de propor a vocês hoje com uma mesa redonda. Nosso desafio hoje vai ser depois transcrever em um texto escrito. E farei seguindo as regras de citação de todos você e qualquer necessidade de edição, consultarei vocês. (…)

O Escuta, inicialmente, é em Português. E por isso eu dobro meu agradecimento à Angie porque por enquanto nosso alcance é para os leitores de língua portuguesa. Mas, ao mesmo tempo, acho muito importante poder multiplicar esse conhecimento no Brasil e para as pessoas que lêem Português.

Nossa dinâmica hoje será eu lançarei algumas questões que já estava no nosso roteiro mas adoraria que caso vocês tivessem perguntas entre vocês ou sugerirem algum tipo de questionamento entre vocês, a gente também use esse espaço como um espaço de troca. Meu objetivo aqui é, não só deixar vocês a vontade, mas manejar nosso tempo. (…)

Minha primeira pergunta é um espaço para vocês dizerem sobre vocês mesmos e como o MindScape compôs seu caminho profissional e pessoal.

Angie Touraine: Sou Angie Touranie, foi apresentada ao BodyTalk e MindScape em 2005. Quando estive a 1ª vez em um curso de MindScape foi transformador para mim. Eu era extremamente “cérebro esquerdo”, orientada para lógica e para o objetivo; então criatividade, intuição, sentir as sensações não eram sequer discutidas. Eu fui para o curso, quis sair da aula porque foi algo que realmente mexeu e transformou as minhas estruturas sobre o que eu acreditava, um novo paradigma de vida. Tem sido uma interessante jornada nos últimos 10, 15 anos ensinando e integrando MindScape na minha vida. MindScape tem tido um impacto literalmente em todos os aspectos na minha vida, pessoalmente, profissionalmente, espiritualmente. Basicamente, profissionalmente falando, eu vejo BodyTalk e MindScape completamente inseparáveis. Não vejo duas coisas diferentes, aprofunda e aprimora o tratamento mas também a comunicação com o cliente. Para os tratamentos, sessões à distância é muito proveitoso. Profissionalmente, se você trabalha com pessoas, MindScape é muito, muito valioso. E em todas as aulas, eu tenho pessoalmente algo positivo.

Celso Juc: O meu primeiro contato com MindScape foi através da minha mulher, que fez em 2010, e também fiz no mesmo ano. Minha formação é em Engenharia. E então, pode ver que… 1 mais 1 é igual a 2 sempre. Quando eu fiz o MindScape, eu aprendi que 1 mais 1 nem sempre dá 2. E fiquei apaixonado pelo MindScape. E comecei a fazer outros cursos do MindScape. Eu não sou BodyTalker. Somente Ciências da Vida. E aí eu fiz alguns avançados com Kris (Attard). Um dia conversei com uma pessoa, e disse “tenho muita vontade de ser instrutor”, e ela disse, “por que você não tenta?”. Então conversei com o Kris, e ele disse “você tem o perfil de ser instrutor de MindScape”, já vínhamos conversando. E nos últimos quatro anos eu tenho sido também Instrutor de MindScape, além de outras coisas que faço. Eu também dou aulas de liderança emocional, trabalho com emoção, com liderança, em universidades, em pós-graduação e MBA no Brasil. Como mudou a minha vida, muito, eu sempre adorei o MindScape, eu uso o MindScape na minha empresa para criatividade, para criação. Eu aprendo muito com as pessoas, como Angie. Eu gosto muito de dar os cursos tanto que eu tenho os cursos posteriores ao curso de formação – eu faço grupos, a gente trabalha e treina, treina, treina. Minha vida é outra coisa com MindScape.

Carlos Bueno: Boa noite. Eu sou muito ruim com datas, vou falar da minha história sem as datas. Comecei com BodyTalk, 2011; não lembro quando foi o curso com a Angela (Adkins), talvez Adriana possa ajudar quando foi [acho que foi 2012]. Comecei muito empolgada, até hoje sou, em todas as áreas que o sistema permite. Eu fiz todos os módulos, inclusive o PaRama, MindScape básico e avançado. Fiz os cursos mais filosóficos também, Finding Healthing 1 e 2; Medicina oriental e não me lembro os outros, mas fiz mais alguns. E em relação ao MindScape, posso resumir falando como eu indico ele as pessoas: eu falo para as pessoas se eu tivesse que esquecer todas as técnicas que eu fiz na minha vida e pudesse guardar uma coisa, eu guardava o MindScape. Então, eu, ao contrário do Celso e da Angie, eu tinha uma cabeça mais aberta, eu aceitei melhor, mas fazer o curso de MindScape é muito … expande muito nossa percepção das coisas. E no último exercício que a gente faz, do escaneamento, ali é a prova cabal que não existe tempo e espaço, não existe essa diferença, estamos todos juntos, somos uma coisa só. Como eu uso MindScape: eu uso basicamente nas sessões de BodyTalk (…). Tentamos fazer vários grupos de estudos (…).

Nirvana: Eu gostaria de usar essa inspiração “MindScape uma coisa que não esqueceria”, para trazer uma pergunta para todos você. Se vocês se lembram, qual foi o ponto de mutação, de completa transformação, usando o MindScape a sua vida pessoal ou profissional. E gostaria que vocês dessem um exemplo, e me alongo na pergunta para que vocês se lembrem um exemplo incrível da carreira ou na vida pessoal.  Quem poderia trazer o primeiro exemplo, seria ótimo ouvir vocês.

Angie: Com certeza. Eu diria que primeiro eu uso em cada aspecto da minha vida, especialmente em comunicação e resolução de conflitos. Depois de usar o MindScape há muitos anos, não é algo externo, já está integrado e inseparável da minha personalidade e a forma que me movo. Quando comecei a aprender MindScape, me ajudou academicamente, estava estudando para me tornar terapeuta e instrutora de BodyTalk. Em pouco tempo, em 2, 3 anos, tornei-me terapeuta certificada e logo depois Instrutora, certamente sem o MindScape isso não teria sido possível. Eu estava estudando anatomia e fisiologia que eram pré requisitos para me tornar terapeuta avançada e instrutora. E, naquele tempo, na África do Sul, estava estudando na universidade e viajando muito, perdia muitas aulas. Eu tinha somente um mês para fazer o exame, e usei o MindScape intensamente para estudar para o exame. Para o meu professor, isso foi surpreendente, porque, segundo ele, seria impossível passar na prova da forma como eu fiz, sem estar nas aulas presencialmente. Naquela época eu também estava participando de vários cursos avançados com Dr John (Veltheim), e sempre ficava a questão “o que era capaz de reter”, mas posso dizer que o MindScape foi a chave atrás de ter toda esse avanço profissional. Profissionalmente falando, posso dizer que tudo isso só foi possível para mim porque eu fiz através do MindScape.

Pessoalmente falando, eu vivo doze por 7 (24 horas por dia, 7 dias por semana) – eu estou falando com as pessoas, planejando, com MindScape. Sabe que é relaxante, meu estado mudou depois; as pessoas dizem que depois do MindScape foi uma mudança de 360 graus. Porque minha intuição, minha conexão com o Eu superior se torna parte da sua expressão. É uma linda oportunidade de falar sobre isso.

Nirvana: Obrigada Angie, vamos ouvir Celso. Qual foi seu ponto de mutação?

Celso: O Carlos falou dele, foi no 1º curso. Eu escrevi na minha apostila, no meu manual, “eu quero ensinar MindScape”, no ano que eu fiz. Eu escrevi isso, porque eu pensei “as pessoas precisam saber disso”. Foi impressionante. Campo é campo. Eu quero contar um exemplo; isso aconteceu em 2016… eu guardo datas, diferente do Carlos. Eu estava em São Paulo, o Kris (Attard) estava em São Paulo, e meu sogro teve um AVC. Minha mulher me ligou, eu saí do curso, atendi o telefone. E ela me disse que a psicóloga, a assistente social já tinha chamado a mãe, a ela, o irmão que o pai tinha poucas horas de vida. Nesse momento, eu pensei em vou convidar meu sogro para a oficina. E ele me disse: “eu não vou morrer”. E o médico disse, “ele não tem chance”. E eu busquei na minha mente a ressonância que tinha feito, o mapa, do exame. E eu peguei o resultado do exame, e eu vi o mapeamento a mancha, eu não entendo nada, não sou médico. E eu perguntei de novo (para meu sogro): “vai viver”. E ele disse: “sim, eu vou viver”. Ele tá vivo, na cama, faz quatro anos que está na cama, e já se comunica por gestos com a gente. (…)

Nirvana: Lindo exemplo, obrigada. Vamos ouvir Carlos. Qual foi seu ponto de mutação com MindScape, talvez em clínica, com paciente?

Carlos: Cada uso com MindScape já é um ponto de mutação. Cada confirmação de histórias como a do Celso, coisas que a gente vê na clínica. De você tocar no paciente e explicar como foi o acidente dele, sem ele ter falado nada. Todas essas confirmações são muito incríveis, são coisas que não me acostumo. Sempre falo que nunca me acostumo com MindScape e com BodyTalk. (….)[4]

Nirvana: Qual espaço de autorresponsabilidade o MindScape promove, não é. Porque na verdade uma das coisas que eu observo e gostaria de ouvir na experiência de vocês é como o MindScape muda nossa percepção. Gostaria de poder ouvir quais mudanças vocês observam em vocês mesmos? (…) Gostaria de ouvir de vocês quais foram as alterações perceptivas que vocês sentiram em vocês mesmos, corporais, mentais, espiritualmente.

Angie: Eu diria que eu uso MindScape para criar o meu espaço de meditação e eu sempre medito lá. MindScape é uma prática espiritual porque todos viveremos situações, desafios na vida, e ao invés de achar uma solução fora, vamos para dentro, para a oficina do MindScape. Então, basicamente, indo para seu estado mental, conectando seus guias ou animais, é uma forma de conectar também com sua mente subconsciente para achar seus bloqueios. Se eu tenho conflito com relacionamentos ou uma dor física, eu vou para meu MindScape. E pergunto o que está acontecendo na minha vida, por que, o que está representando na minha vida, porque meu subconsciente está apresentado essa situação. E uma vez que estou mais consciente com essa má percepção sobre mim, ou medo, ou insegurança, os sintomas desaparecem.

Nirvana: Eu já vivi isso também.

Angie: Para mim, MindScape traz esse espaço de poder encontrar as respostas internamente, ao invés de buscar externamente, ou culpar fatores externos.

Nirvana: Muito obrigada, Angie, muito importante este aspecto espiritual do MindScape. Celso, você tem algum relato de mudança de percepção ou de mudança em você?

Celso: Eu tenho uma conexão maior com meu corpo. Eu tive uma pedra no rim, a pouco tempo atrás. Você tem que esperar dez minutos para fazer o exame, usando o contraste, para identificar a pedra no rim. E a dor é muito grande né. E eu usei como exemplo o MindScape para eu suportasse a dor, e foi uma minha experiência de dez minutos se tornou um minuto. Muito bom. E outra coisa, eu não tenho dúvidas. Se eu quero uma coisa eu não tenho dúvidas, aquilo é aquilo. É isso.

Nirvana: Você tem algum relato?

Carlos: (…) O que eu sinto é que cada vez a gente usa e quanto mais a gente usa [o MindScape], mais afinados ficam nossos sentidos, tanto normais como sutis, principalmente os sutis. Para dar um exemplo, o que me chamou atenção. (…) A Angela falou uma vez sobre atividade física no MindScape. E eu sou um pouco desconfiado das coisas. Certa vez, eu montei uma academia de musculação na minha oficina. E eu fui malhar e senti as dores musculares no dia seguinte. E eu não tinha feito outra atividade, não tinha com eu ter aquela dor física. Eu senti exatamente os músculos que eu tinha malhado. Inclusive nessa pandemia eu queria ter usado isso, mas não usei ainda.

Nirvana: Nós temos aqui três exemplos, três histórias tão diferentes. E eu estou aqui imaginando nosso leitor. Eu gostaria que vocês pudessem comentar, brevemente, o quão infinito é esse universo do MindScape. E esse comentário vai na direção também de ouvir como vocês relacionam o MindScape com todo sistema do BodyTalk. Talvez para Angie venha a ser a inseparável relação entre MindScape e BodyTalk, eu gostaria de ouvir mais sobre isso; talvez para o Celso vá ser como o MindScape ajuda em outras áreas no desenvolvimento profissional; e tendo o Carlos como bodytalker tão entusiasmado com MindScape, eu gostaria talvez de ouvir um exemplo clínico. (…) Tudo que vocês trouxeram aqui leva a essa infinitude. Então é assim que eu gostaria de encerrar nossa conversa: qual relação do MindScape e BodyTalk.

Celso: Não sou do BodyTalk, eu fiquei pensando no MindScape a dias atrás, o que eu poderia falar sobre o MindScape para pessoas que eu gostaria de convidar e trazer para o MindScape. Então eu escrevi um artigo e o nome do artigo é Felicidade. E o artigo começa assim: você consegue explicar felicidade? A sensação que você tem na felicidade, você cresce, você se sente grande. E você não cabe no seu corpo. E que você não consegue explicar. Você só sente. E o MindScape para mim é mais ou menos isso, não dá para explicar. Você tem que sentir. Por isso eu convido as pessoas para experimentarem. E depois elas não soltam mais. É verdade. E como exemplo, uma experiência que eu fiz, um piloto com um grupo de pessoas que trabalham juntas. E eles tinham um problema. Em seis minutos, nós tivemos 39 soluções possíveis com o problema com insights dentro do MindScape. É isso.

Carlos: A relação do MindScape com BodyTalk que é os dois sistemas são geniais e ilimitados. E a limitação deles, na verdade, é o praticante. E então assim, tanto o MindScape como o BodyTalk, não são um milagre, justamente por isso precisam ser praticados. Porque, principalmente o MindScape, o BodyTalk também, eles trazem uma sensação que eu vou resolver tudo. E você realmente vai. Mas se você praticar. Se realmente usar, se dedicar. Então até o próprio John Veltheim o MindScape a gente aprende as ferramentas mas acaba ficando com algumas, se especializando com algumas. Eu estou falando isso tudo, porque é natural, o que eu não faço lá dentro – “não falo com meus guias”, “não uso minha mesa”. E exemplo é de cada atendimento que a gente faz, e a pessoa fala: “não posso esconder nada de você”. E para fechar, eu uso o MindScape como um ampliador na sessão de BodyTalk, e partir do momento em que eu comecei a usar o MindScape, parece que ficou tudo nítido durante a sessão.

Nirvana: Obrigada, Carlos, é verdade. MindScape é um amplificador de som e imagem. Angie, comente por favor a relação do MindScape com BodyTalk com sua vasta experiência.

Angie: Se você usa pessoalmente ou profissionalmente, MindScape integra e abre os paradigmas do tratamento. Porque o BodyTalk você usa o feedback neuromuscular pode se tornar mecânico e mais lento; com MindScape, é outra experiência. Integrando BodyTalk e MindScape, é como se suas sessões voassem, dar asas porque a velocidade, a qualidade da sessão é impulsionada. A nível prático, não posso imaginar fazer BodyTalk sem usar o MindScape. Com minha experiência prática, eu vou na minha oficina de MindScape, quando inicio a sessão, e eu me mesclo, me misturo com o cliente. E quando me misturo, eu tenho contato da história, todos os detalhes da experiência do cliente. Quando estou com um cliente com câncer, embora eu não tenha uma bagagem médica profunda, eu convido para minha oficina um especialista e me mesclo com o blueprint desses especialistas, e então realizada a sessão e é totalmente diferente. MindScape é sem fim do seu potencial porque não é a partir do cérebro esquerdo, mas se mescla com a consciência universal e traz o melhor que você precisa. Trabalhar com clientes usando MindScape, você está habilitado basicamente para conectar e ter a raiz do problema muito rápido; é como abrir o capítulo do livro da vida da pessoa e lê-lo. Isso funciona totalmente na zona, ressoar a zona e estar em contato com o subconsciente da pessoa. Meu comentário final é, tanto para o bodytalker como um terapeuta de saúde, o MindScape é o melhor investimento que você pode dar para seu desenvolvimento profissional em um alto nível. Obrigada.

Nirvana: Incrível Angie, ouvir desse ponto de vista. Essa experiência que vocês três compartilharam nesta mesa redonda tem a particularidade de cada um, o que embeleza o sistema, mas tem algo que parece unir nós cinco, incluindo a mim e a Adriana: é a nossa paixão, a nossa entrega por essa possibilidade. E é nesse espírito que eu gostaria de agradecer vocês, novamente, de fato, deixar uma flor no caminho de suas oficinas, porque assim como vocês, eu considero o MindScape como um caminho espiritual. E por isso que eu sou extremamente grata por essa noite de partilhas de experiências. Antes de terminar, passo para Adriana porque eu sei como é difícil fazer esse movimento de tradução.

Adriana: Só dizer realmente da minha paixão e da minha conexão com MindScape. Estou fazendo parte dessa segunda edição do Escuta e falando das Ciências da Vida como um todo. Tem sido um mergulho muito poderoso, especial. E celebro a dimensão integral, espiritual inclusive, do MindScape, e do BodyTalk como um todo. Obrigada.

Nirvana: Boa noite a todos e um ótimo dia a você, Angie.


[1] Angie Tourani, www.bodytalksystem.com.hk ,  FB – BodyTalk Hong Kong, IG- bodytalkangie

 Angie Tourani is Hong Kong’s only Advanced Certified BodyTalk Practitioner, BodyTalk Instructor and MindScape Trainer, since 2010.  She specializes in working with emotional issues, anxiety, immune system weaknesses,  digestive issues and hormonal problems  with both adults and children. She offers both physical treatments and distance (remote) healing sessions.

Angie is passionate about working with clients with chronic, inflammatory, stress related issues by assisting them through treatments, and through providing them with training to utilize simple, self-help techniques. This training is provided through the BodyTalk Access Seminar and the development of meditation and mind skills in the MindScape Seminar.

[2] CELSO JUC

Instrutor certificado em MindScape pelo IBA Global Healing, professor de Liderança Emocional pela FIA / Harvard Business Review Brasil, palestrante nos temas: Inteligência Emocional, Atenção Plena e Felicidade. Ativista Quântico formado pelo físico indiano Dr. Amit Goswami. Engenheiro, com mais de 35 anos de experiência como gerente e diretor de empresas nacionais e multinacionais.

e-mail: celso@mindscape.com.br

Fone: (11) 98304.0000

www.celsojuc.com.br

[3] Carlos Bueno, CBP desde 2011, PaRama, MindScape. Realizou vários outros cursos do IBA, tais como Medicina Oriental, Finding Heath 1 e 2 com John Veithein. Coordenou grupo de estudos de BodyTalk e de Mindscape. contato (whatsapp): 61 98199-8880.

[4] Aqui houve uma exceção do texto falado em comum acordo com o participante. (N.E.)

Para ler em pdf clique aqui